Publicidade
Mobilidade

Waze lança em São Paulo serviço de carona Carpool

Waze lançou hoje em São Paulo o aplicativo de caronas Carpool
Mariana Barros é cofundadora do Esquina / mariana@esquina.net.br
Publicado em 21.08.2018, às 11:57 am

O Waze lançou hoje em São Paulo a versão brasileira de seu serviços de caronas Carpool, anunciado como uma alternativa para desafogar o trânsito. Nesta fase inicial, os usuários que solicitarem carona pagarão R$ 2 reais por corrida enquanto os motoristas receberão o valor integral do deslocamento, entre R$ 4 (para até cinco quilômetros) e R$ 25 reais, conforme a distância. Quem pega carona precisa utilizar outro aplicativo, o Carpool, enquanto quem dá carona é notificado pelo aplicativo padrão do Waze.

Para o lançamento do Waze Carpool, a empresa realizou um evento no Museu de Arte Contemporânea (MAC) com a presença do presidente do Google Fábio Coelho e do secretário municipal de Mobilidade Urbana João Octaviano Machado Neto.

Em sua fala, Machado Neto destacou o hábito paulistano de marcar reuniões no trânsito, tamanho o tempo gasto em deslocamentos na cidade. “É hora de sociedade e empresas atuarem juntos”, afirmou, acrescentando que o serviço é “uma nova matriz de mobilidade”.

Segundo André Loureiro, diretor-geral do Waze para América Latina, o Carpool irá ampliar a escala dos grupos de caronas existentes, que surgem de maneira espontânea e já fazem parte do dia a dia de tantas pessoas.

“Tem gente que vai ser motivada pelo que podem receber, tem gente que será motivada pela companhia e outros pela ideia de contribuir com o coletivo”, afirmou Douglas Tokuno, diretor do Carpool no Brasil.

O artista Eduardo Srur fala sobre sua instalação Carros, em cartaz no MAC


Obra de arte

Na entrada no MAC está a instalação “Chaos”, do artista Eduardo Srur, composta por dois blocos de seis metros feitos com carrinhos de plástico aglomerados, formando uma passagem. “É um convite para vocês entrarem por essa passagem e fazerem uma reflexão”, afirmou Srur no lançamento do Carpool. “Esse trabalho é uma obra contemplativa, lúdica. Gostaria que, antes de vocês saírem deste espaço sagrado que é o museu, tenham uma lembrança boa antes de encarar a realidade das ruas”. A obra fica exposta até dezembro.

Principais tags desta reportagem:







Publicidade
Outros destaques

Bitnami