*

Planejamento 23.11.2017 — 6:00 am

Na contramão do mundo, Zimbábue vive processo de “desurbanização”

Enquanto as cidades se multiplicam em número e tamanho no mundo todo, o Zimbábue, protagonista de uma transformação histórica nesta semana, sofre o inverso deste processo. Dados do Censo nacional coletados entre 2002 e 2012 indicam que parte dos moradores das cidades do país preferiram deixá-las para viver em áreas rurais. De 35% em 2002, a população urbana passou para 33% dez anos depois. O movimento é exatamente o oposto daquele que tem transformado as paisagens da Índia e da China, por exemplo, hoje de maiorias urbanas. No Zimbábue, previsões apontam que só em 2050 haverá mais gente vivendo em cidades do que no campo.

Há algumas razões principais para isso. Em parte, a migração foi impulsionada por uma espécie de reforma agrária promovida pelo governo, a jambanja, iniciada em 2000. Essa regularização fundiária levou parte da população a se mudar para as propriedades rurais como forma de garantir que seus direitos recém-adquiridos seriam respeitados.

Outra razão importante é a disseminação do vírus HIV e outras epidemias que colapsaram o já comprometido sistema de saúde do país. Sem alternativas de tratamento ou atendimento, muitos doentes — especialmente os terminais –optaram por se retirar de suas cidades para viver em reclusão no campo.

Um terceiro ponto que merece destaque é que a “desurbanização” não é exatamente nova no Zimbábue. Nos anos 1990, crises econômicas e a desindustrialização de diversas regiões já havia contribuído para esse movimento.

Por fim, há ainda a dificuldade dos pesquisadores do Censo em definir o que é e o que não é área urbana. A forma como as cidades se constituem no Zimbábue deixam margem para dúvida, pois são pouco densas e muito espalhadas. Há muitas regiões periféricas ou suburbanas que não são categorizadas como área urbana — mas que poderiam, pela quantidade de pessoas que atraem. Muitos assentamentos e pequenos conglomerados enfrentam a mesma questão.

O ritmo de urbanização do Zimbábue é um dos menores do continente africano, ao passo que Ruanda aparece disparado como o país onde a urbanização tem sido mais intensa. A mudança no governo do país, embora seja um capítulo importante da história, deve alterar muito pouco esse panorama.

 

Fonte: Africa Research Institute

 

 

Tags:, ,

Bitnami